Spiga

Histórica, Democracia Corintiana completa 25 anos

Um dos movimentos mais conhecidos do futebol brasileiro completa 25 anos em 2007. Em 1982, jogadores com Wladimir, Biro-Biro, Sócrates, entre outros, criaram a famosa “Democracia Corintiana”, que deu ao Timão os títulos estaduais de 82 e 83 e implantou uma nova forma de comportamento de uma equipe de futebol.

"A gente tinha um almoço no sábado e depois ia para casa. À noite você tomava uma cervejinha, transava com a esposa e no domingo tinha outro almoço com toda a família. Todo mundo ia junto para o jogo e você entrava em campo com tesão. Quando o time fica concentrado os jogadores querem liberdade e sabem que só vão ter depois do jogo", analisou o Dr. Sócrates.

Entre os conceitos da democracia, estava a votação de todos os jogadores e integrantes da comissão técnica sobre os assuntos de interesse coletivo. Em uma das votações, a concentração para os jogos tornou-se opcional.

"Acho que a maior conquista foi mesmo o fim da concentração", opinou o ex-lateral Wladimir, que também fez parte do movimento.

Sócrates reconhece que era uma dos principais articuladores do final da concentração. Ele acredita que, dessa forma, os jogadores davam mais importância ao jogo.

Sócrates concorda que será difícil repetir os movimentos nos dias atuais. "Fui técnico do Cabo Frio e fiz uma votação para o fim da concentração e perdi de 40 a 1. Tinha gente que contava com a refeição na concentração porque muitas vezes não tinham o que comer", lamentou Sócrates.

O movimento da democracia começou a cair em 84, quando Sócrates foi vendido para a Fiorentina, da Itália. Mas deixou saudade no torcedor corintiano.


Fonte: Futebol Interior

0 comentários:

Postar um comentário