Spiga

Hora de Parar

Edmundo chora no vestiário e até fala em parar de jogar

SÃO PAULO - Artilheiro do time no Estadual, o atacante Edmundo quer parar de jogar. Abalado pelo resultado da partida deste domingo contra o Guaratinguetá - empate por 2 a 2 -, o atacante chorou muito. Nos vestiários, desabafou. "Gostaria de ficar por mais tempo, mas deu vontade de voltar para casa, aproveitar a vida”, declarou, para logo depois dizer que apesar do desânimo, ainda pode repensar sua decisão. “Ainda tenho um ano de contrato com o Palmeiras. Vou conversar com a diretoria para ver se eu ainda posso ajudar o time”, disse, com uma voz amargada.

O inferno astral de Edmundo não começou neste domingo. O atacante teve a chance de dar a classificação da equipe para as oitavas-de-final da Copa do Brasil, na última quinta-feira, mas chutou para fora sua cobrança. Contra o Guaratinguetá, Edmundo voltou a não render o esperado e isso aumentou sua tristeza.

O craque ficou muito triste com a posição da diretoria palmeirense em relação a uma proposta do New York Red Bulls, da liga norte-americana de futebol. “Eu não tenho a intenção de ir para os EUA. Houve essa proposta e eu comuniquei a diretoria que tinha sido procurado. Eles disseram que se a proposta era boa para mim, poderiam considerá-la. Se eles querem me liberar, eu não quero ir.”

A respeito da declaração de Edmundo sobre encerrar a carreira, Cipullo tem certeza que sua declaração foi provocada pelo “ardor da partida”. “Encaro o que ele disse como amor à camisa, à sua profissão. Ele sentiu o empate, a chance desperdiçada, mas ele irá reconsiderar essa posição.”

O técnico Caio Júnior concorda com o dirigente. “Ele tem uma história aqui no clube e sentiu muito a perda do pênalti contra o Ipatinga”, disse, valorizando a coragem de Edmundo de bater o pênalti que deu o empate ao time alviverde. Sobre o seu eventual abandono do futebol, Caio seguiu o caminho de Cipullo. “Ele estava de cabeça quente, triste. O contrato dele vai até o final do ano e conto com ele para o Campeonato Brasileiro”, disse o treinador.

Edmundo sabe que pode voltar atrás. “Não é o final, existe a possibilidade de parar, é provável mas não definitiva.” Se o Palmeiras não se classificar para as semifinais do Paulistão, Edmundo - que está suspenso pelo terceiro cartão amarelo para o jogo contra o São Bento, em Sorocaba, na próxima quarta - terá um mês para pensar. A estréia do Palmeiras no Brasileiro acontecerá só no dia 13 de maio, contra o Flamengo.

No fim do desabafo, uma declaração de amor ao Palmeiras. “Não é para me ajudar que quero parar. É pelo Palmeiras, para quem eu torço. Apesar de ter sido revelado em outro clube, é aqui que fui feliz. Sempre.”

Estadão

0 comentários:

Postar um comentário