Spiga

Subornos

Museu dos Esportes

O arbitro Pelopidas Argolo

Os árbitros de futebol tem problemas que ninguém tem. Para exercer sua profissão somente tem dificuldades. Os juizes alagoanos são iguais a todos os outros do mundo inteiro. Até mesmo nas “cantadas”.

As “cantadas”, mesmo de forma indireta, surgem das mais diversas formas. O ex arbitro, Pelopidas Argolo, em depoimento para o Museu dos Esportes, fez sérias denuncias contra alguns maus dirigentes. Esses maus dirigentes são os grandes problemas dos árbitros. Eles perseguem, criticam, xingam, e muitas vezes, tentam subornar.

Pelopidas Argolo conta que estava escalado para apitar Capelense e Penedense, na cidade de Capela. Com um empate, o Penedense estaria classificado para o quadrangular final do campeonato. No sábado pela manhã, Pelopidas recebeu, em sua casa, a visita do presidente do Penedense, Severino Camilo, que estava acompanhado do treinador do Capelense, Eraldo Lessa. É isso mesmo. Eraldo Lessa era técnico do time adversário. Enquanto o dirigente elogiava a residência do arbitro, o técnico foi direto ao assunto. Disse que o Penedense não podia perder o jogo e esperava que Pelopidas tivesse uma boa atuação. Ao mesmo tempo, Severino Camilo abria sua capanga e, acintosamente, mostrava um punhado de dinheiro. Pelopidas pediu que ele fechasse sua capanga. Já nervoso, Camilo disse que estava apenas tirando um endereço telefônico para entregar a Eraldo Lessa. Ao se despedir, o presidente do Penedense declarou que confiava na arbitragem de Pelopidas.

Depois que os intrusos foram embora, o arbitro e sua esposa foram ao mercado fazer compras. Ao retornarem, encontraram em sua varanda, um saco de arroz. Seu filho explicou que tinha sido os dois homens que o visitaram logo cedo. Pelopidas arranjou duas testemunhas, colocou o saco de arroz no carro e foram direto para a Casa dos Pobres. Lá, procurou a madre superiora e fez a doação. Ainda recebeu da madre um recibo também assinado pelas duas testemunhas.

O caso foi levado ao presidente da Federação, Heider Silveira, que não gostou da atitude do dirigente penedense. Entretanto, pediu para que o caso não fosse divulgado pela imprensa. Pelopidas Argolo foi a Capela e teve sua arbitragem elogiada pela imprensa e o jogo terminou em zero a zero. Antes do inicio do jogo, o arbitro contou o caso ao funcionário da Federação, Walfredo Oliveira que falou com Severino Camilo. O presidente se desculpou e disse que o saco de arroz tinha sido um pedido do Eraldo Lessa que queria oferecer a um doutor.

Museu dos Esportes

0 comentários:

Postar um comentário