Spiga

Sobrenomes

Guilherme não, Guilherme Macuglia!

De uns tempos pra cá os nomes com sobrenomes foram sendo incorporados aos nomes de guerra do futebol. Antigamente era mais fácil. O Santos, por exemplo, tinha Pelé, Pepe, Coutinho. O Flamengo tinha Zico, Peu, Adilio. Simples assim. Agora tudo é cheio de pompa: Cleiton Xavier, Rodrigo Souto, Rafael Sobis, Eduardo Martini. Fica ruim pra torcida gritar ou até xingar.

Mas o fenômeno mais interessante é quando os jogadores encerram as carreiras e viram treinadores. Não sei se consultam numerologistas ou marqueteiros, mas passam a adotar sobrenomes nunca usados na vida. Vejam alguns exemplos.



jogador / técnico

Silas / Silas Pereira
Telê / Telê Santana
Guilherme / Guilherme Macuglia
Alexandre (goleiro campeão da Copa do Brasil pelo Criciuma/1991) / Alexandre Pandócio
Ovelha / Mauro Ovelha
Abel / Abel Braga
Levir / Levir Culpi
Luis Felipe / Luis Felipe Scolari
Gallo / Alexandre Gallo
Lula / Lula Pereira
Adilson / Adilson Batista


Já alguns mantiveram o nome autêntico:


Renato Gaúcho / Renato Gaúcho
Zico / Zico
Leão / Leão
Romário / Romário
Cuca / Cuca

ZOOando o animal


Sendo que três são carecas, dois não sabem usar as pernas direito e dois têm um parafuso a menos no cérebro.

Colaboração de Melo, do Verdade Absoluta.

Azar

Antônio Lopes é um cara supersticioso. Atribuiu falta de sorte ao pênalti perdido do Edmundo. Acho que ele não tem prestado muita atenção:
"O Edmundo é o cobrador oficial, o primeiro batedor do time e vem obtendo sucesso. Ele não tem perdido muitas cobranças e estou satisfeito"
"Foi uma infelicidade, e não será por isso que deixará de bater os pênaltis".

Sorte é quando um pênalti do Edmundo entra, não é mesmo?

Insuportável

Acabei de voltar da Ressacada. O Avaí empatou em casa com o Santo André, tomando gol de cabeça do Marcelinho Carioca. E o cara ainda vai comemorar o gol fora do campo mostrando uma camisa com o número 500 - ele marcou o gol número 500 da carreira logo contra o Avaí. Trata-se realmente de um moleque e safado.

ps.: tudo isso sem poder tomar cerveja devido a nova lei seca da PM.


Coleção grande ciganos: Maurilio

Alguns jogadores sempre me deram a sensação de serem onipresentes na série B. Gil Baiano e Gluéguer, por exemplo, são adversários do Avaí em todas as partidas desde 1999. Parece que ficam rondando os estádios com uma chuteira na mão esperando uma "vaguinha" nas peladas que rolam por aí.

Maurilio também era um desses. Bastante rodado, após jogar o Pernambucano pelo Salgueiro e chegando aos 38 anos, procura vaga na série B...

Carreira de Maurilio

1990 - Pinheros (atual Paraná Clube); 1991 a 1994 - Palmeiras; 1995 - Logroñes (Espanha); 1996 - Paraná Clube; 1997 - Vila Nova-GO; 1997 - Grêmio; 1997 - Juventude; 1998/1999 - Ponte Preta; 2000 - Paraná Clube; 2001 - Vitória de Guimarães (Portugal); 2002/2003 - Al Ittihad (Arábia Saudita); 2004 - Paysandu; 2004 - Marília; 2005 - Ceará; 2005 - Remo; 2006 - Fortaleza; 2006 - São Raimundo-AM; 2007 - Icasa-CE; 2007/2008 - Horizonte - CE; 2008 - Salgueiro-PE

Nota: Assista um video onde o jogador fala sobre os jogadores que derrubam os técnicos.

YouTube, o inimigo dos boleiros

Boleiro tem que se ligar que agora todo mundo tem celular que filma, e publicar um video no YouTube é muito fácil. Ronaldo dançou assim: não tivesse sido filmado, seria a palavra dele contra a dos travecos. E como também não filmaram mais, temos que acreditar que não rolou nada naquele motel.
Agora o Carlos Alberto - outra figurinha carimbada - foi pro Botafogo. No elevador, umas fãs maria-chuteiras pediram pros botafoguenses mandarem beijinhos pros cruzeirenses. E ele comentou:
– Por que vocês estão mandando a gente mandar beijo para homens? Não tem nenhum Richarlyson aqui não !
Confiram o video.


Esse Avaí Faz Coisa!

Guga ouve fã francês gritar 'Avaí'

Garotos `invadem` treino do tenista brasileiro em Roland Garros

Gustavo Kuerten pôde sentir mais uma vez o quanto é especial para os franceses. Nesta quinta-feira, o treino fechado que ele fazia na quadra Suzanne Lenglen foi 'invadido' por jovens locais, que não paravam de gritar seu nome. Um deles, na tentativa de chamar atenção do brasileiro para conseguir um autógrafo, gritou várias vezes 'Avaí', time do coração do tenista. E conseguiu.

- É bom saber que eles também estão treinando para torcer na minha estréia. Fico emocionado em ver que tem tantos garotos aqui que gostam de mim. Tem até um que tem o cabelo parecido com o meu de 1997. É mais uma motivação saber que existe essa identificação com a torcida - diz ele.
'Em cada quadra que eu entro, lembro de um jogo que já fiz. A atmosfera de Roland Garros é especial', conta Guga

Guga não nega a emoção dos dias que está passando em Roland Garros. Diz que fica o tempo inteiro tendo recordações das vezes em que disputou e conquistou o torneio.

GloboEsporte

Irritando o Marcelinho

Sempre é bom ver o Marcelinho Carioca numa dessas...



Programa CQC - Band

Nem todo o repórter irrita


O ex-goleiro Leão ia à loucura com as perguntas de sempre dos repórteres, proferindo frases do tipo "Por que você não faz uma pergunta inteligente ?". Hoje há algumas técnicas jornalísticas para diminuir tal stress, vejam o caso da repórter da MTV...

Repórter-musa agita treino do Corinthians

Uma presença especial marcou o treinamento do Corinthians, nesta quinta-feira. A repórter Giselle Maritan, da MTV, agitou o treino da equipe alvinegra, que se prepara para a segunda rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, contra o Gama.

Com um pequeno short, a musa entrevistou algumas pessoas, causando frisson no Parque São Jorge e fazendo com que alguns presentes parassem para vê-la de perto.

Paulistana, 26 anos e torcedora assumida da equipe alvinegra, ela é jornalista do programa Rock Gol. Entre outras preferências, Maritan tem como ídolo o ex-corintiano Marcelinho Carioca e considera Kaká o mais bonito jogador de futebol.

Terra

Alô Ronaldo

Coitado do Ronaldo, aposto que algum amigo deve ter mostrado a matéria abaixo pra ele e dado uma zoada do tipo "E aí Ronaldo, olha só a mulherada!!" .
Aliás, quando o Ronaldo voltar a jogar, será que as torcidas adversárias vão pegar no pé?


Novo nu coletivo de Spencer Tunick usa estádio como cenário
Fotógrafo realizou ensaio com centenas de voluntários nus nas arquibancadas do Ernst

VIENA - Centenas de austríacos tiraram suas roupas neste domingo, 11, para posar para o fotógrafo Spencer Tunick no estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria, que será palco das finais da Eurocopa 2008.
Tunick, fotografo famoso por correr o mundo retratando grandes concentrações de pessoas nuas, dispôs seus modelos nas coloridas arquibancadas do estádio. O estádio será a sede de várias partidas da Eurocopa 2008, que está sendo organizada pela Suíça e pela Áustria, incluindo a final no dia 29. Os participantes do evento são voluntários, que recebem como prêmio uma edição limitada das fotos tiradas.
Estadao

Amor de mãe

Renato Gaucho mostrando a paciência e carinho que recebeu da mãe...

Mais veterano do que se possa imaginar

E a série B começou já com um artilheiro. O veterano e cigano Dimba, do Brasiliense, já marcou 2 vezes. Entretanto, cabe um alerta. Dimba nada mais é que o centroavante Careca, ex Seleção e São Paulo, que mudou de nome e ainda quer bater uma bolinha. O nome original é usado apenas em peladas amistosas de ex-craques, organizadas pelo Zenon.


Carecone: da amarelinha do Brasil para a amarela do Brasiliense

Grandes folclóricos: Almir Pernambuquinho


Almir foi um grande craque polêmico dos anos 60. Morreu, após encerrar a carreira, numa briga de bar. Abaixo matéria da Revista Placar...

As aventuras de Almir, o Pernambuquinho

Primeiro vamos mostrar dois diálogos do craque Almir com dois treinadores.

Primeiro:

Renganeschi: Meu filho, porque você não para de beber ?
Almir: Olha, seu Renga, não paro por duas coisas. Porque gosto e a bebida não me prejudica. Eu não treino direito ? Não estou sempre em forma ? Alguma vez deixei e jogar a não ser por contusão grave ?
Renganeschi bateu nas costa de Almir e foi embora.

Segundo:

Iustrick: Almir, você não acha que Copacabana fica muito distante do Vasco ?
Almir: Não acho não.
Iustrick: Mas eu acho que você tem que morar perto do Vasco.
Almir: Eu não.
Iustrick: Estão escolhe – O Vasco ou Copacabana.
Almir: Copacabana.
Iustrick não tocou mais no assunto.

Esse era o Almir Pernambuquinho. O menino durão do Vasco. O homem furioso do Flamengo. O herói da Bombonera no Boca Junior. O garoto que brigou pela seleção com meio time uruguaio. Um homem próspero, tomador de cerveja que sempre amou uma coisa: a vitória.

Catimbeiro, brigão e valente eram alguns dos adjetivos que a imprensa dava ao “craque Almir”. Entre as suas muitas brigas, Almir gostava de recordar aquela da decisão do campeonato carioca de 1966 no jogo Flamengo e Bangu.

“Aquele jogo tinha que acabar daquele jeito. Logo no começo senti que não dava. Carlos Alberto entrou contundido e ficou fazendo numero em campo. O goleiro Waldomiro estava com medo e não devia nem ter entrado. O Bangu disparou e foi aumentando a vantagem. Naquele embalo a gente ia levar de enfiada. Resolvi acabar com aquele carnaval. Quem passou pela minha frente apanhou. Ainda hoje o Ladeira está correndo. Dei pernada, pontapé, soco e cabeçada. Fora os desaforos que disse a todo mundo”.

Quando jogava no Boca Junior que era dirigida pelo brasileiro Vicente Feola, Almir armou a maior confusão contra o Chacarita. Foi uma verdadeira batalha campal.

“Eu vinha de uma contusão e pedi a Feola que não me escalasse. Mas Feola disse que os cartolas exigiam minha presença. Logo no começo senti que a corda ia quebrar do meu lado. A torcida começou a me xingar. Eu olhava para Feola e pensava – Veja o que você me arranjou. Eles abriram a contagem, mas nós empatamos ainda no primeiro tempo. No começo do segundo tempo armei uma briguinha, e queria levar uns dois ou três comigo. Mas o juiz errou, somente eu fui expulso. Fui deixando o campo debaixo de vaias. Minha sorte foi a burrice de um jogador do Chacarita, que começou a me ofender. Chamei-o e ele quis dar uma de valente. Foi ele chegar e receber uma bolacha na cara. Todo mundo brigou, dois jogadores deles foram expulsos e eu entrei no vestiário como herói. Acabamos ganhando”.

O Urubu veste Prada - II


Verdade Absoluta

O Urubu veste Prada


Verdade Absoluta

Sabendo curtir


Luxa e Denilson comemoram o título do Palmeiras. Antes uma manicure do que um traveco....

Tergiversando

E o Figueirense levou mais uma na capital. À torcida do Avaí só restou desviar o foco, como mostram essas fotos (seriam montagens?) espalhadas por correntes de e-mail. Em tempo, neste feriado houve em Floripa mais uma parada gay...




Grande Público

Se o site Futebol Interior disse, tá dito... Detalhe, Zenon é jogador e técnico...

amistososelecaomaster_0001_250x170.jpgMirassol, SP, 01, (AFI) - Na comemoração do feriado do Dia do Trabalhador, a Seleção Brasileira de Masters comandada pelo ex- craque Zenon e companhia, venceu os Veteranos do Mirassol FC, por 1 a 0, na tarde desta quinta-feira, no Estádio José Maria de Campos Maia, na cidade de Mirassol. O jogo contou com a presença de um grande público.