Spiga

Cânticos de Torcida


Fico um tanto decepcionado com as torcidas de todo o país. Todos os cânticos são padronizados, como se saíssem de um livrete da CBF entregue na porta de cada estádio:

_ E ninguém cala, esse nosso amoooor, e é por isso que eu vou cantando só por ti "nome do time"
_ Dá-lhe, sou "locução adjetiva do torcedor do time", com muito orgulho, com muito amooor!
_ ôôô, vai pra cima deles "nome ou apelido do time"!

O pior de tudo que muitos derivam de cantos de torcidas europeias, numa completa prova da nossa colonização!

O Folclore da Bola propõe que os clubes, com essa grande receita das quotas de TV que permite pagar salários de 6 dígitos para seus jogadores, invistam um pouco na exclusividade do canto de suas torcidas.

Por exemplo, o Bahia poderia contratar o Carlinhos Brown:

Decunde odá
Decunde odá
Você é vitamina, guia é show
E o Bahia vai ganhar!


Ou o Flamengo, o Benjor:

Tererê Mahal
Correndo pela princesaaaa
Ronaldinho futevolei
balada na naturezaaa


Ou o Arnaldo Antunes, pro Palmeiras

Porco no CORPO da luz
Suíno GLADIA guerreiro
Guerreira AGORA século-eco
Grama-verde-CATARRO-cuspe (torcedores todos de camisa social grande e branca, com cabelos arrepiados com gel e sacudindo braços esticados como bonecos. Não é necessário cantar afinado, bastar gritar)


Pra fechar, um Humberto Gessinger pro Grêmio

Grêmio agremiação da graça
grita grave na vuvuzela
Renato renasce gaúcho
em gramado ou canela (gritinho em falsete ao final)

Se ia ser fácil de cantar, não sei, mas pelo menos um pouco mais original... :)

0 comentários:

Postar um comentário